Com atrasos e carro alegórico afrontando Bolsonaro, confira os acontecimentos do Carnaval do Rio e São Paulo

Vigário Geral afronta Bolsonaro em carro alegórico — Foto: Reprodução

O primeiro dia de carnaval, nesta sexta-feira, 21/02, foi marcado por atrasos, carro alegóricos quebrados e falta de alegorias.

Em São Paulo, o carro alegórico da Dragões da Real fica preso à fiação, após passar pela avenida e atrasa em uma hora início do desfile da Mancha Verde. Uma parte do Sambódromo de Anhembi. Camarotes também tiveram o fornecimento de energia interrompido. Liga das Escolas de Samba de SP diz que não haverá punição.

No Rio de Janeiro, Acadêmicos da Vigário Geral deu abertura aos desfiles da Série A, conhecido como grupo de acesso. A escola de samba teve atraso de 15 minutos, por conta das fortes chuvas que assolaram na Cidade Maravilhosa. Além disso, Vigário encerrou o desfile com um palhaço fascista, uma alusão ao presidente da República, Jair Bolsonaro.

Carro alegórico da Acadêmicos do Cubango desacopla na avenida — Foto: Reprodução

 

Sendo a quinta escola de samba da noite, Acadêmicos da Cubango se destacou com o enredo “A voz da liberdade“. Embora tenha feito um excelente desfile, os carros alegóricos apresentaram defeitos. O primeiro, do abre-alas, desacopla em frente ao júri. Outro carro seguinte, apresentou defeitos nas estátuas. A escola de samba de Niterói apresentou 21 alas, três carros e um tripé e 2.300 componentes em seu desfile de 53 minutos.

Baianas do Império Serrano desfila sem saia — Foto: Reprodução

Encerrando o primeiro dia dos desfiles da Série A, Império Serrano teve atraso de 5 minutos. Além disso, a ala das baianas se apresentaram sem a tradicional saia, provocando indignação na ala. Carros alegóricos estava inacabados e o desfile foi acelerado para fechar com 55 minutos, duração máxima.

Confira:

Carro alegórico da Dragões da Real — Foto: Reprodução

 

Carro alegórico da Acadêmicos do Cubango quebrado na avenida — Foto: Reprodução